Colesterol

Para tratar o Colesterol, primeiro é importante entende-lo.

Apesar de ser apresentado com o nosso maior inimigo, o colesterol é essencial para a vida. Serve de base na elaboração de muitas vitaminas  - principalmente D3 - e hormonas sexuais em particular.

Após uma observação e estudo a sujeitos veganos, seguidores de alimentos ditos puros, e a sujeitos omnívoros, consumidores de alimentos de origem animal, Dr. Robert Masson rapidamente percebeu... os sujeitos veganos, que sofrem de deficiência proteica de origem animal, eram constantemente 'torturados' pela fome... Consequentemente, eles petiscavam mais entre as refeições, prevalecendo os biscoitos, maçapão, bolos, entre outros. Todos eles, alimentos de origem biológica mas, por outro lado, carregados de calorias.

E foi aí que percebeu que a placa de ateroma não está relacionada com o colesterol e lípidos ingeridos, mas sim, com o colesterol e lípidos produzidos pelas calorias em excesso, onde os petiscos entre as refeições são uns dos principais factores, bem como a sobre alimentação em geral. Isto significa que as gorduras animais e o colesterol exógeno são prejudiciais apenas quando estão dentro da ingestão de calorias em relação às necessidades do organismo.

Caso contrário, elas são oxidadas e benéficas, especialmente pelo seu aporte em vitaminas lipossolúveis.

Mas de onde vem o Colesterol?

O Colesterol é uma substancia gordurosa branca, encontrada naturalmente no organismo - 75% -, o quarto restante vem da nossa alimentação (produtos de origem animal, carnes, carnes gordas, queijos, manteiga, ovos...). É essencial para o óptimo funcionamento das paredes celulares. O nosso organismo utiliza-o também na fabricação de substancias químicas vitais, tais como a Vitamina D e hormonas, como já foi anteriormente referido.

Mas, se o colesterol é inocente, o que provoca o enfarte?

O enfarte vem de uma artéria totalmente bloqueada (artérias coronária). Na grande maioria dos casos, a origem é um coágulo sanguíneo. A formação do coágulo depende de três factores: a agregação de plaquetas sanguíneas, coagulação e fibrinólise, mecanismo anti coágulo. O colesterol não está envolvido em nenhum desses fenómenos.

Quando se fala das lesões ateroscleróticas, que entopem parcialmente as artérias, mas nunca completamente, o colesterol representa no máximo 10% destas lesões. Assim, 10% de uma obstrução parcial, não é ele próprio responsável pelo enfarte.

O Bom e o Mau Colesterol?

Não existe o Bom e o Mau Colesterol!

Não há vida na Terra que seja livre de colesterol. Pode-se automaticamente deduzir que, por si só, não pode ser assim tão mau. Na realidade, é um dos nossos melhores amigos. Não é de admirar que uma redução excessiva de colesterol aumenta o risco de morte. O Colesterol é um precursor de todas as hormonas esteróides. Sem ele não se pode fazer estrogénio, testosterona, cortisona, e uma série de outras hormonas vitais. Isso significa que é na realidade muito melhor ter o colesterol elevado do que baixo, se quiser viver muitos anos.

 

Vamos ver melhor como o podemos controlar/estabilizar. 

Alimentação: Quais os bons alimentos e os desaconselhados?

As Gorduras Recomendadas, também chamadas de insaturadas: Nozes, especialmente óleo de noz, azeite, óleo de girasol, óleo de milho, óleo de sementes de uva e colza.

O peixe, mesmo peixes gordos - excepto enguia - mariscos e crustáceos, excepto durante a época de reprodução.

Carnes brancas sem pele, no caso das aves - vitela, coelho, peru, galinha, pombo, pato...

Frutas e legumes, de preferência Bio.

Em qualquer das opções, confeccionar através de fritura não é uma opção.  O confecção deverá ser feita com qualquer uma das gorduras acima referidas, sem as deixar aquecer demasiado, pois perdem propriedades em temperaturas acima dos 170º. Deverá dar-se preferência às seguintes alternativas de confecção: Cozimentos em água ou vapor, preparações no forno sendo possível utilizar temperos como ervas ou especiarias a gosto.

As Gorduras Não Recomendadas: O Leite Gordo, semi-desnatado, condensado creme fresco, e manteiga. 

Queijo com mais de 40% de matéria gorda.

Óleo de amendoim, óleo de palma, côco, banha de porco, batatas fritas e fritos no geral.

Salsichas e carnes gordas, como galinha, ganso, borrego, porco...

Carnes pré-preparadas e pratos de peixe comercial, caldos de carne, chocolate ou achocolatados e gelados, sendo no entanto permitidos sorbets.

Caso esteja no limite ou acima do limite aconselhado, deverá consultar um profissional com o objectivo de melhorar a sua situação.

© 2014 por Spiralis.