A radiação Wi-Fi é responsável por 47,7% dos abortos espontâneos!

Um consultor da Organização Mundial de Saúde, John Goldsmith, provou que a exposição à radiação das microondas Wi-Fi tornou-se a principal causa de abortos. No total, 47,7% dos casos, na sétima semana de gravidez, são causados por estas ondas.

O nível de radiação é estimado em torno de 5 microwatts, um nível bastante baixo, se levarmos em conta que a maioria dos estudantes e as crianças recebe uma radiação mais elevada em uma sala de aula equipada com acesso Wi-Fi.

A figura é mais preocupante se tivermos em conta que, segundo Goldsmith, a absorção das ondas em crianças pode ser dez vezes maior do que os adultos. O tecido do cérebro e da medula óssea têm um conteúdo diferente, o que cria um estresse que pode causar danos irreversíveis no DNA mitocondrial.

O documento da OMS onde estão descritos todos estes problemas foi rotulado de 'Top Secret' e os seus conteúdos permanecem ocultos. No entanto, de acordo com Barrie Trower, as ondas do Wi-Fi também podem afetar barreira sangue-cérebro, cérebro, sistema imunológico e ossos.

De acordo com Trower, tendo em conta as descobertas mais recentes, se continuar a expansão descontrolada de sistemas de acesso Wi-Fi até ao ano 2020, cancro e mutações genéticas serão estendidas como uma pandemia em todo o mundo.

O Comitê Nacional Russo diz num relatório sobre a proteção contra radiações que, entre as crianças expostas, existe um aumento de 85% de doenças do Sistema Nervoso Central, 36% na Epilepsia e 83% no risco para o feto e doenças imunes.

© 2014 por Spiralis.